<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d15488631\x26blogName\x3dPortagemBlog+-+A+ponte+entre+o+passad...\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://portagemblog.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://portagemblog.blogspot.com/\x26vt\x3d5720869566317118064', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

 

Portagem Blog dá que falar

Apesar de inicialmente ter sido criticado, quero aqui agradecer a referência do blog Em Portalegre Cidade ao Portagem Blog.

Este não é um "blog do regime" é sim um meio de divulgar o que de interessante esta localidade tem para oferecer.

Saudações
O administrador do PortagemBlog

 
 

Comissão de Festas da Portagem – Breve Historial II

No ano de 1994 fizeram-se novas campanhas, agora com a venda de copos de vidro oferecidos por uma fábrica, e ainda a venda de cestos regionais com ramos / fogaças que foram ofertadas pela população da Portagem, com produtos cultivados nas suas hortas.

Com o dinheiro obtido, fez-se a substituição das janelas da Capela; mandaram-se executar os cartazes de pano com o anúncio e publicidade das Festas para colocação nas estradas principais da aldeia; comprou-se uma carpete e também uma passadeira. A Mesa das Leituras (o ambão) foi oferecida.
O saldo continuou positivo.

Em 1995 fizeram-se as campanhas da venda da “Frontaria da Capela” executada em barro pintado a azul e branco e das canecas bojudas em barro, com o desenho da Capela; a das canecas esguias e dos pratinhos com o desenho da Ponte Romana (Ponte Quinhentista).

Conseguiu-se então adquirir o candeeiro suspenso para o tecto central da Capela; uma porta nova com boa segurança para a sacristia: a mesa das velas de promessas e ainda o Missal Romano. Procedeu-se ainda à limpeza do telhado, com a substituição de alguma telhas.

Pela primeira vez, funcionou o “Salão de Chá”, onde todos se podiam delirar com os doces e salgados confeccionados e oferecidos pelas senhoras da Portagem.
Mais uma vez obtivemos um saldo positivo.

Tendo assim conseguido realizar alguns melhoramentos que na altura achámos prioritários e também porque algum cansaço se manifestava sentimos necessidade de parar, sem saber se por muito ou pouco tempo.

CONTINUA...

 
 

Comissão de Festas da Portagem – Breve Historial I

Já lá vão doze anos, foi em 1993 que fomos convidados a integrar a Comissão de Festas de Nossa Senhora da Rocha.

A princípio ainda hesitámos, mas nos vários contactos que fizemos com o pároco, dando-lhe conhecimento das nossas intenções, decidimos aceitar este desafio, que percebemos desde logo, não ser fácil.

Houve então apenas uma condição, tinha como objectivo prioritário que todos os possíveis lucros obtidos nas iniciativas levadas a cabo por esta Comissão, revertessem única e exclusivamente a favor de alguns melhoramentos na nossa Capela, que já se apresentava há algum tempo, com sinais evidentes de degradação.

O primeiro passo estava dado, mas precisávamos agora da colaboração de todos. Assim, revolvendo a “caixinha das recordações”, deparámos com um folheto das Festas de 1966, a última vez que tínhamos colaborado, onde constava a lista nominal de todos os festeiros desse ano. Foi assim que tratámos de enviar cartas a todos pedindo o seu apoio, sendo poucas as devolvidas por alterações de endereço. A maioria foi solidária com a sua terra!

Nesse ano e nos dois seguintes os saldos da Festa Religiosa e Civil eram então separados.

Não tínhamos qualquer fundo monetário para dar início ao que tínhamos planeado. Começámos, pois do zero.

A primeira iniciativa foi a venda de pratos decorativos com vistas da Portagem, nas lojas do comércio local, tendo a mesma superado as nossas expectativas.

Fez-se então nesse ano (1993) a substituição do pavimento da sacristia, a canalização da água, a colocação da luz na frontaria da Capela e compraram-se ainda alguns objectos necessários como as jarras e o castiçal prateados para o altar.
No final o saldo foi positivo.

CONTINUA...

 
 

Torre da Portagem

Tendo a Alfândega de Marvão funcionado na Torre da Portagem, por ali passavam, a cuidar da vida, gentes que de um e outro lado da fronteira teimavam em ultrapassar as barreiras administrativas e políticas impostas ao fio da espada que, contudo, nunca conseguiu cortar as ligações familiares ou de simples amizade e vizinhança. Em 1492 os reis que a si próprios se designaram de Católicos, movidos por motivos de ordem religiosa e procurando a defesa do universalismo da religião cristã mas, também por motivos de ordem económica, expulsaram os judeus dos seus reinos só considerando a sua permanência através da conversão ao cristianismo.

Foi um novo Êxodo para o povo de Israel! É difícil avaliar o montante daqueles que atravessaram as fronteiras portuguesas considerando que algumas famílias ficaram dispensadas da capitação e outros, como os armeiros ou ferreiros beneficiaram de um direito de entrada mais baixo. Os números da fuga apontados pelos diferentes investigadores vão das 15.000 até às 400.000 pessoas. Sabemos, contudo que, só em Setembro de 1492, próximo de Castelo de Vide, se montou um acampamento de cerca de 5.000 pessoas guardadas dia e noite por soldados portugueses para evitar as incursões dos soldados castelhanos. Seria caso para dizer: um verdadeiro acampamento de refugiados perseguidos em nome da religião e da intolerância!

Alguns daqueles que entraram em Portugal passaram a fronteira na Alfândega de Marvão, contribuindo desta forma para o momentâneo crescimento dos cofres do Estado, posteriormente fragilizados pela assumpção de uma política de intolerância religiosa que caracterizou as coroas ibéricas. A partir de 1492 as comunas judaicas já existentes em Portugal viram crescer significativamente o número dos seus ocupantes. Foi este o caso da judiaria de Castelo de Vide cujo redimensionamento deve ter conduzido à necessidade de utilizar uma antiga casa de habitação como Sinagoga.

Carmen Ballesteros

in: Site Município de Marvão -
http://www.cm-marvao.pt

 
 

Portagem Blog no Tudoben.com

www.tudoben.com

O Portagem Blog está em destaque no portal alentejano Tudoben.com onde pode encontrar variadas informações sobre toda a região alentejana.

 
 

Festa em Honra de Nossa Srª da Rocha - Portagem

Festa em honra de: Nossa Senhora da Rocha
Data de realização dos festejos: Agosto

É tradição dos habitantes da aldeia da Portagem realizarem as festas em honra de Nossa Senhora da Rocha. No entanto, existem referências bibliográficas, nomeadamente na Memória Paroquial de S. Salvador do Mundo de Aramenha, do Pároco João Rodrigues Carrilho, que refere: "... a Ermida de Sam Silvestre, que tem hum só altar com a Imagem do dito Sancto com hum nicho no meyo de hum retabolo de madeira, nam tem esta Ermida rendimento algum, nem se dis missa nella em dias determinados..." Daqui se poderá concluir que, nesta data (1758), o Padroeiro da Portagem era S. Silvestre.

Também Possidónio Laranjo Coelho no seu livro "Terras de Odiana" refere que: "A ermida de S. Silvestre, que ainda no século XVIII se erguia na encosta da serra de S. Mamede, está hoje totalmente destruída. No pitoresco sítio da Portagem existe também uma pequena capela, reedificada há poucos anos, da invocação de Nossa Senhora da Rocha." Esta reedificação seria feita poucos anos antes de 1924 (ano em que Laranjo Coelho publicou "Terras de Odiana"). No entanto, a Capela de Nossa Senhora da Rocha deverá ser da época da construção da ponte da Portagem (supostamente, finais do século XVI). Por altura da reedificação da Capela de Nossa Senhora da Rocha, a imagem de S. Silvestre foi levada para a Igreja de S. Salvador da Aramenha, onde actualmente se encontra. No entanto, a população da Portagem faz questão de que esta imagem regresse para a sua aldeia. Também nesta mesma altura, Maria José Araújo (proprietária de um grande número de terrenos e casas na região) ofereceu a imagem de Nossa Senhora da Rocha que se encontrava no chamado "Quarto do Oratório", na sua casa de Verão na Portagem. Maria José Araújo tinha por hábito realizar missas e bailes à porta de sua casa. No dia em que ofereceu a dita imagem, foi celebrada missa igualmente à porta de sua casa, seguindo-se de procissão, evocando a imagem de Nossa Senhora da Rocha, até á Capela. Esta foi a primeira procissão que se realizou e a partir de então começaram a fazer-se as festas no largo em frente á Capela, tal como as missas campais. O velho manto de Nossa Senhora da Rocha ficou, no entanto, em poder de Maria José Araújo que o utilizava para envolver os seus filhos quando nasciam ou quando sofriam de doenças. Ainda hoje este manto se encontra na sua casa, na Portagem. Passado algum tempo, certos homens desta aldeia decidiram juntar-se e, com a ajuda das receitas das festas, mandaram construir a Igreja, transferindo a imagem de Nossa Senhora da Rocha para o novo altar e sendo a antiga Capela actualmente a Sacristia desta mesma Igreja. A festa continuou a realizar-se normalmente em Setembro, apesar de nestes últimos anos se realizar em Agosto.

Brevemente: historial da Comissão de Festas da Portagem

 
 

II Torneio de Voleibol 4 na Portagem

 
 

Centro de Lazer da Portagem

O Complexo Desportivo e de Lazer da Portagem, ficará localizado no lado oposto ao actual parque de merendas, na margem esquerda da piscina natural formada pelas águas do Rio Sever entre as duas pontes.
O equipamento constante de este Centro é o seguinte:

- Piscina de seis pistas
- Tanque de aprendizagem e recreação infantil
- Edifício de balneários e vestiários para homens e mulheres, complementados por serviços de apoio ( bar - cafetaria e esplanada )
- Polidesportivo descoberto, especialmente vocacionado para a prática de ténis
- Parque infantil
- Anfiteatro
- Quiosque

Os objectivos deste empreendimento, visam, essencialmente, a integração e articulação de todo o equipamento numa solução que promova a animação do conjunto para fruição de tempos livres, valorizando ainda mais aquele já de si belíssimo espaço natural. No edifício dos balneários, o piso superior é dominado por uma ampla esplanada. O anfiteatro, lugar cenográfico por excelência, será lugar para espectáculos e concertos, mas no essencial será a identidade e a espiritualidade deste magnifico lugar que se estará a celebrar. Foi com a ideia de privilegiar e desencadear um convívio directo com o rio, que se fez o traçado da praça do cais que se prolonga num percurso pedonal junto ao rio marcado por uma sucessão de arcadas de onde se poderá tranquilamente contemplar o espelho de água da piscina natural. Considera-se uma obra de extrema importância para o desenvolvimento do concelho de Marvão, uma vez que irá trazer uma forte afluência de pessoas á Portagem, para poderem desfrutar de um local agradável e de convívio numa das zonas mais privilegiadas do concelho, no que diz respeito a áreas de lazer.
in: Site Município de Marvão - http://www.cm-marvao.pt

 
 

Ponte Quinhentista


Na Portagem, existem muitos monumentos como por exemplo: a ponte em granito que transpõe o Rio Sever sendo um dos ex-libris do concelho de Marvão podendo ser uma das mais perfeitas obras de engenharia viária conhecidas no Alentejo. A ponte localiza-se nas proximidades da Cidade Romana de Ammaia (freguesia de S.Salvador de Aramenha), juntamente com a presença de materiais romanos nas suas imediações, tem contribuído para que todas as pessoas a considerem uma obra dos romanos ou do tempo em que estiveram na Península ibérica.

No tratado da Cidade de Portalegre, concluído a 1619, possivelmente nos finais do séc. XVI.
No século XVII, a ponte foi derrubada para evitar que por ela passassem mercadorias para Castela sem pagarem direitos.

Esta ponte foi substituída por outra que na sua altura se construiu mais abaixo, junto de uma Torre que se chamava Portagem. Esta Torre de características medievais, funcionaria como uma aduana de Marvão e nela se cobrariam direitos de portagem.
Esta ponte vulgarmente chamada Ponte Romana de Portagem que remonta dos finais do século XVI.

Os materiais utilizados na construção da ponte possivelmente são Romanos e certamente reutilizações de alguma ponte anterior à ponte em questão e podem ter sido materiais que abundavam nas ruínas da região.

 
 

Ammaia - Clube de Golf de Marvão


"Ammaia", o primeiro campo de golf a surgir no interior alentejano, é um bonito espaço completamente integrado na paisagem do Parque Natural da Serra de S. Mamede. Foi inaugurado em 1997 e apresenta variadas infra-estruturas como: campo de treino, áreas de chipping, e bunker, putting green, clubhouse com restaurante e bar, trolleys manuais e eléctricos, entre outros.

O "Ammaia - Clube de Golf de Marvão" é cada vez mais procurado tanto por jogadores da península Ibérica como por jogadores de outros países da Europa, não só por ser um percurso aparentemente fácil como pela excelente vista: de um lado Marvão do outro a Serra de S. Mamede.

Este campo de golf foi classificado pela revista "European Golf" em 1999 como o 7º mais bonito de Portugal e a "Federação Portuguesa de Golf" distinguiu-o como "Percurso de Golf do Ano" em 2000.

Pode ter mais informações sobre este campo de golf através do telefone 245 993 755 ou através do e-mail
golfemarvao@hotmail.com.